quarta-feira, 6 de março de 2013

Vai tudo melhorar.....

Estas foram as palavras que uma colega minha me disse hoje enquanto lhe contava como tinha corrido a consulta com o médico!

Para ser sincera desde 2010 que as coisas nunca mais foram as mesmas, aconteceram coisas que me deixaram sem uma parte de mim.

Mas as coisas foram piorando com o passar do tempo, stress, problemas, e discussões  fizeram com que eu chegasse ao meu limite e não conseguisse mais.

Como não aguentava, decide recorrer ao médico, este deu-me uma medicação apenas para duas semanas,  (semanas estas que me deixaram toda mocada).

Hoje foi dia de nova consulta, e não correu muito bem.



Sai de la com um antidepressivo «Sertralina 50mg», um outro para o coração «Bisoprolol 5mg» (este é para sempre) e com umas ampolas que contem magnésio.

O que me chateia mais é que não queria ficar viciada nesse antidepressivo, pois sei que são tratamentos longos, e que o corpo acaba por se habituar a essas substancias.

O que eu queria mesmo era ser como antes. Mas já não o sou!

Amiga eu sei, que tu tens razão, tudo irá melhorar, e eu, vou voltar um dia  a ser eu! 
Beijo*

4 comentários:

  1. Olá Karina. É a primeira vez que estou a comentar no teu blogue, mas não queria deixar de o fazer pois acabei de ver que temos algo em comum. No verão passado apanhei um pequeno susto durante as férias, em que o meu coração disparou e batia com alguma irregularidade. Achei por bem ir ao hospital local e depois de uma injeção, a taquicardia lá começou a diminuir. O médico de serviço passou imensos exames e, ao voltar a casa, comecei a ver afinal o que se passaria. Fiz análises a tudo e mais alguma coisa, ECG, raio-x ao tórax e resolvi ir mostrar tudo a um cardiologista. A primeira coisa que me perguntou foi se era nervosa. E eu, que sou a calma em pessoa, respondi que achava que não, embora estivesse a passar por um momento stressante a nível profissional. Depois disto, fiz prova de esforço (em que fiquei com um batimento de 170 e tal bpm) e holter. Não acusou arritmia, mas a conclusão foi ter o ritmo cardíaco acelerado para a idade. Sempre que ia à consulta, tinha mais de 100 bpm e o médico resolveu que o melhor seria medicar-me. Tal como tu, passei a tomar o Bisoprolol (metade de 1 comprimido) e com o tempo, acabei por melhorar. O que mais me assustou, tirando a taquicardia, foi sentir que as batidas eram irregulares, e às tantas uma pessoa pensa se o ritmo volta ao normal ou não. E só de pensar nisso, acabava por ter ataques de ansiedade. O médico acha que se deveu apenas a stress, visto que não detetou nada de grave. Mas com tudo isto, ao contar aos amigos o que me tinha acontecido, cheguei à conclusão que muitas pessoas jovens têm este tipo de problema hoje em dia. Felizmente não cheguei a tomar ansiolíticos, embora me tenha sido receitado um como SOS.

    Posto isto, quero desejar-te as melhoras e acima de tudo, pensamento positivo, pois tudo há de correr pelo melhor :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, nem sabes como ao ler estas tuas palavras me fizeram bem.
      Tenho muito medo sinceramente, e ainda por cima porque estou a começar a tomar anti-depressivos! Mas sei que será para o meu bem.
      Eu sinto que preciso disso! Porque sozinha não dou conta do recado, tenho passado por varias fases más na minha vida.

      Mas, fiquei feliz ao saber da tua história, e claro de não ser a única a passar por isto!
      Espero sinceramente que daqui por algum tempo venha aqui dizer o mesmo do que tu.

      Um beijinho Grande e obrigada por tudo! :)

      Excluir
  2. A questão é que tu és tu! Porque o que tens vivido faz parte da tua vida e do teu ser... não podes estar à espera de voltar a um lugar que já não existe.... tudo faz parte de ti e tens de aprender e aceitar a viver com isso... pelo que percebi perdes-te alguém que te era muito próximo e que te deixou muito abalada. Mas penso que essa pessoa não ia querer que estejas a viver nesse abismo, mas sim que vivas a tua vida por ti e por ela também... espero ter conseguido passar a ideia que queria, ás vezes atrapalho-me um bocado com as palavras....
    se conseguires tenta sair dessa depressão por ti mesma, podes não acreditar mas a tua força interior e ser positiva ajuda muito. Bjocas

    ResponderExcluir
  3. Pode ser só uma ideia mas não ponderas tentar a acupunctura? Tem excelentes resultados na área e não te causará dependencia em nenhuma circunstancia. E não, eu não sou acupunctora :)Felicidades!

    ResponderExcluir