quarta-feira, 3 de abril de 2013

Pânico a agulhas

Eu tenho de confessar (com muita tristeza) que tenho pavor a agulhas.
Antigamente, sempre que ia fazer analises, acabava por desmaiar tal era o medo que tinha. Começava a sentir o coração acelerado, a transpirar por toda a parte e depois não me lembrava de mais nada, a não ser acordar e ver toda a gente a minha volta. A minha mãe ficava numa grande aflição (coitada).

«É tudo psicológico», diziam as enfermeiras. A minha mãe chegava a dizer que nunca ia poder ter filhos, se desmaiava ao ver uma agulha. 

Em Setembro do ano passado fui operada de emergência a uma apendicite aguda, fui logo encaminhada e fiz umas análises para confirmar que se tratava de uma apendicite.
Quando a enfermeira ia para tirar sangue, pedi-lhe para ela deitar o cadeirão para atrás e começar a falar comigo, pois era muito nervosa e costumava desmaiar, ela, muito simpática assim o fez.


E não é que funcionou mesmo? Não desmaiei, a enfermeira começou a fazer perguntas e mais perguntas e eu acabei por abstrair-me da situação. Apesar das dores que tinha, dos medos todos, a operação correu muito bem.
                                                     
Mas, sabiam que não sou só eu, que sofro de “pânico a agulhas”? Estive a ler um artigo na internet, e fiquei a saber que 10% da nossa população sofre desse mal. E que nesses 10% também há homens com esse mesmo pânico?

Pois é, parece que não sou a única a ter pavor a agulhas.

E vocês conhecem alguém que sofra deste "mal"?

Beijocas***

9 comentários:

  1. Eu. :) Não chego a desmaiar, mas fico branca e branca e branca (e eu sou bastante branquinha já) e claro que as enfermeiras ficam para lá de assustadas. :) Explico sempre: nunca me doeu tirar sangue, tenho óptimas veias para tirar, nunca é preciso picar duas vezes, não tenho nenhum trauma mas a visão das agulhas (e do garrote) é o suficiente para eu ficar a parecer um fantasma. =P

    ResponderExcluir
  2. Eu não sofro desse mal, mas também não faço questão de olhar para as agulhas :)
    beijinho

    ResponderExcluir
  3. conheço muita gente como tu :)

    ResponderExcluir
  4. Eu não tenho qualquer problema.. tenho uma tatuagem e um piercing no umbigo que são bem prova disso, mas já o meu marido também é assim como tu... é mesmo psicológico!
    Ele coitado, quando foi assistir ao parto e viu a agulha da epidural (eu não vi mas ele disse que era enorme)já não se conseguiu levantar da cadeira onde estava sentado!!!
    Bjocas

    ResponderExcluir
  5. Também não gosto nada de agulhas!!! Viro sempre a cara para não ver!
    Também já desmaiei à conta delas!!! =)

    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Vivo procurando em postagens na internet alguma solução para esta fobia que também tenho, mas nunca encontrei nada, ao contrário, encontro sempre depoimentos sempre muito parecidos com o que acontece comigo. Minha fobia não é com agulhas em geral, posso acompanhar qualquer pessoa num exame, ver qualquer um tomando pontos, e tudo bem. Não é agradável, mas levo na boa. Meu problema é sentir a agulha furando o meu corpo, seja para anestesia, exame de sangue, vacina, o que for. Normalmente nem olho, mas, basta sentir aquele objeto pontiagudo me furando e caio desmaiada na hora. Até mesmo no dentista isso é complicado, basta ele começar a me dar a anestesia e minha pressão já despenca. Meu dentista, coitado, que já cansou de ter de me acudir em desmaios, agora deita totalmente a cadeira de forma que minhas pernas fiquem mais altas, isso tem dado resultado, fico zonza, suo frio, mas desde que ele começou a fazer assim, não desmaiei mais na cadeira dele! O problema porém é coleta de sangue: tenho que fazer a cada seis meses e é sempre o mesmo vexame, desmaios e mais desmaios. Se alguém descobrir uma cura para esse tipo de fobia, por favor compartilhe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. :)

      Olha eu sei bem o que é isso... Tudo o que descreves-te já passei pelo mesmo.

      Vou-te dar um conselho que a mim têm resultado, e espero que contigo resulte.... Quando fores tirar sangue, além de te deitarem, pede para que falem contigo e quando digo falar, eles que te façam perguntas... Comigo resultou, nunca mais desmaiei, fico com suores frios, dor de cabeça e tremores, mas só isso. Não desmaio porque eu sou "obrigada" a responder e parece que passa mais depressa o tempo em que a agulha esta no meu braço. Espero que resulte contigo... Depois vem cá contar.

      Um beijinhooooo

      Excluir
  7. Oi Karina, ontem tive que ir ao laboratório e me lembrei das tuas dicas. Pedi para fazerem a coleta deitada, fiquei tentando tagarelar com a enfermeira enquanto ela extraia os tubetes de sangue. Realmente achei que tava dando tudo certo, mas, quando terminou e me levantei, adivinha? Dois ou três passos e nem cheguei até a porta da sala de coleta.
    Acordei quando já estava de novo na maca, com a enfermeira encostando um algodão no meu nariz (provavelmente com alcool). Mais um vexamezinho para a minha coleção "dama das camélias"... aff
    Mas, valeu a dica, obrigada. Talvez com a prática, eu consiga!
    Me diga uma coisa: vc disse que ainda sente os suores frios, tremores enquanto estão fazendo a coleta. Mas, e depois que termina e você se levanta, fica tudo bem? Não sente mais nada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohhhhhh que penaaaaa! :) E eu pensava que ia resultar! :)

      Nunca me levanto logo. Espero sempre entre 15 a 20 minutos deitada. E só depois é que vou embora.
      Você não faz isso?

      Um beijinho grandeeeeeee **

      Excluir